Google+ Followers

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Paquetá - Ilha

Paquetá - Ilha


Paquetá, início do século XX. O bairro de Paquetá é formado, além da Ilha de Paquetá, por outras ilhas: Brocoió, do Braço Forte, Jurubaíba, da Pita, Redonda, do Manguinho, Comprida, dos Ferros, Casa da Pedra, de Pancaraíba, dos Lobos, Tabacis, das Folhas, Tapuamas de Baixo, Tapuamas de Cima, do Sol, Laje Rachada, Pedra Rachada, Trinta Réis e Pedra Cocóis. Localiza-se no interior da Baía de Guanabara e pertence à capital fluminense. A Ilha de Paquetá foi descoberta pelos europeus em 1555, pela expedição francesa fundadora da França Antártica. No entanto, a ilha já era habitada pelos índios tupinambás, que também viriam a ser conhecidos como tamoios. Estes chamavam a ilha de Paketá, que significa "muitas pacas". Somente em 18 de dezembro de 1556, o rei francês reconheceu a descoberta de André Thevet, cosmógrafo membro da expedição francesa, sendo essa data até hoje considerada como aniversário da ilha. Com a vitória dos portugueses contra os franceses, a ilha passou para o controle dos vencedores, que, em 1565, mesmo ano da fundação da cidade do Rio de Janeiro, a dividiram em duas sesmarias. Em 1697, foi construída a Capela de São Roque, padroeiro da ilha. Durante a Revolta da Armada, em 1893, a ilha foi ocupada durante seis meses pelos marinheiros sublevados, o que ocasionou diversos prejuízos para a população local. É um bairro de classe média. Não é permitido veículos motorizados na ilha e é comum charretes circularem pelo bairro. Vale a pena fazer uma visita a este recanto tranquilo e longe da agitação da cidade. Foto retirada do Grupo Rio Antigo: <https://www.facebook.com/groups/rioantigoeuteamo/>

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários