Google+ Followers

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Alfândega


Histórico da Antiga Alfândega


Data de 1647 a construção do primeiro edifício destinado a abrigar os serviços da Alfândega do Rio de Janeiro. Sua reedificação teve início em 1704 e foi concluída em 1735. Foram feitas diversas ampliações em seus armazéns: uma, em 1783, no vice-reinado de D. Luís de Vasconcelos, e outra, por determinação do Príncipe-Regente D. João, em 1808. Finalmente, em 1817, o prédio sofreu ampla reconstrução (desenho de Grandjean de Montigny, membro da missão artística francesa que veio ao Brasil a pedido de D.João). Novas remodelações foram feitas de 1852 a 1860, de acordo com o plano do arquiteto português Rafael de Castro, quando o conjunto de armazéns e serviços foi acrescido de nova doca projetada pelo Engenheiro André Rebouças. Após o tombamento, em 1943, esteve ameaçado de ser demolido para a abertura da Av. Presidente Vargas. Durante a 2ª Guerra abrigou a repartição que administrava os bens confiscados dos súditos do Eixo. Em 1956 passou para a jurisdição do Poder Judiciário, que ali instalou seu II Tribunal de Júri. Com mais de 50% do seu sistema estrutural feito de taliscas de madeira (talos de madeira) corroídos por cupins e infiltrações, o prédio está sendo reformado pelo Poder Judiciário do Rio. Grande composição, tipo clássico, franco domínio da horizontalidade, frontão, platibandas e embasamento de pedra. Construção caracteristicamente neoclássica, apresenta, internamente, dominando todo o edifício, amplo salão abobadado, com cúpula central no encontro de quatro berços. Colunas dóricas de madeira e tetos de estuque. O projeto original faz parte do acervo do Museu Nacional de Belas-Artes.

Nome do artista: Pieter Godfried Bertichem, Ano da Gravura:1856
Local:Rua Visconde de Itaboraí, 78 - Centro, na época era conhecida como cais mineiros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários