Google+ Followers

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Recreio dos Bandeirantes


Recreio dos Bandeirantes, zona oeste da cidade do Rio de Janeiro, meados dos anos 1960. Sua vegetação nativa é composta de restingas, de muito areal e pântano, e também por isso esta região permaneceu isolada durante muito tempo. Já no século XX houve a aquisição das terras por Joseph Weslley Finch, da denominada Gleba B, e pelo Banco de Crédito Móvel, da área da Gleba A. A formação do Recreio dosBandeirantes se daria a 11 de fevereiro de 1953 com o lançamento do Projeto de Urbanização do Recreio dos Bandeirantes (PA 6028), de autoria do engenheiro e urbanista José Otacílio Saboya Ribeiro, num projeto urbano que prevê a integração ambiental e comunitária, inspirado nos ideais anglo-americanos da Cidade Jardim, conciliando a topografia local a um traçado reticular segmentado com diversas praças e parques de floresta nativa. Entre os anos de 1958 e de 1959 a Companhia Recreio dos Bandeirantes foi responsável pela implementação do projeto e venda dos lotes recém-desmembrados que compunham a chamada Gleba B. O senador potiguar Georgino Avelino, então presidente do Banco do Distrito Federal, esteve entre os que acreditavam na expansão da cidade em direção ao sudoeste, pressionando pela urbanização da área e sua venda aberta à sociedade, contratando o então jovem corretor de imóveis Sergio Castro, que promoveu a venda em lançamento da Gleba B, desde um barracão localizado junto à Pedra do Pontal, que posteriormente, ao fim do lançamento, foi vendido por Sergio Castro a um famoso restaurante. É um bairro nobre da capital fluminense. Possui as praias mais limpas, reservadas e das mais bonitas da cidade: Praia do Recreio, Praia do Pontal, Praia da Macumba, e Prainha. Além disso 1/3 de extensão da Praia da Reserva e a Praia do Abricó (nudismo) estão localizadas em áreas contíguas ao bairro. Inclusive uma música do Tim Maia cita a Praia do Pontal: "Do Leme ao Pontal". Foto: Gilson Costa - acervo: IBGE.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários